OFICINA DE AEROMODELISMO PARA INICIANTES

 

 

 


                                                                                                                                                                                                                         Roberto L. Koch

 

Aeromodelismo pode ser algo útil? Só o sabe quem o pratica, não é mesmo?

Como realizar um evento que pudesse promover o hobby criando uma atividade saudável a um grupo de jovens? Como integrá-los em uma mesma atividade? Estas perguntas começaram a ser respondidas quando surgiu a idéia da criação de uma Oficina de Aeromodelismo.

Uma proposta para o incentivo à prática do aeromodelismo, apresentação dos princípios de vôo à vela, técnicas de construção e vôo de planadores poderia ser algo realmente interessante. Esta atividade conseguiu ser realizada e ainda foi coroada com a realização de um mini-campeonato com os planadores que foram fabricados nesta Oficina.

Foi assim que tudo aconteceu!

Mas, quais critérios deveriam ser estabelecidos para esta Oficina? Inicialmente foi feita a busca em sites que contivessem plantas de planadores. Nesta busca, foram comparados diversos modelos a serem construídos quanto ao grau de dificuldade de construção, tamanho do local disponível para a construção, número de participantes, tipo de materiais a serem empregados e custo dos mesmos.

 

O modelo escolhido foi o Slipper, projetado por Claus Baaden (2001)


 

 


PLANEJAMENTO INICIAL

 

Para o planejamento, foi feito o download da planta, manual de montagem e lista de peças, que teve de ser tropicalizada em função dos objetivos propostos na Oficina de Aeromodelismo e de nossa realidade. A tradução do manual, elaboração de lista de materiais, lista de ferramentas, compra dos materiais, preparação das plantas em tamanho apropriado e reprodução em quantidade suficiente observando-se as proporções entre as peças do modelo, teve de ser considerado.

 

 

TRADUÇÃO DO MANUAL

 

Os detalhes da construção seriam necessários adaptá-los à realidade da Oficina. O manual em idioma alemão serviu de base para montar a seqüência lógica da fabricação.

 

 

LISTA DE MATERIAIS

 

A quantidade de material foi prevista para um grupo de 10 pessoas.

Peça da planta

Tipo

quantidade

7 e 9

Balsa para aileron 6 x 30mm

5

6 e 8

Balsa para aileron 8 x 35mm

5

13

Chapa 1,5 x 100 mm

2

11 e 12

Chapa 1,5 x 75 mm

1

3

Chapa 1,0 x 75 mm

1

5

Chapa 1,5 x 75  mm

2

1

Chapa 5 x 75 mm

2

4

Chapa 1,5 x 75 mm

2

10 e 15

Chapa 3 x 75 mm

1

 

A balsa escolhida foi da TEVEL Modelismo por sua ótima qualidade e preço acessível www.tevelmodelismo.com.br.

 

 

LISTA DE FERRAMENTAS E MATERIAIS

 

A etapa a seguir foi definir quais ferramentas seriam necessárias para a construção. Quais ferramentas seriam essenciais levando-se em consideração o controle dos custos, mas que fossem em quantidade suficiente para o tempo disponível.

A lista definida foi a seguinte:

10 tacos paralelos de lixa 80,

2 tacos de lixa 105° para ajuste de diedro,

Paquímetro para medição do ângulo de posição da asa,

Plástico transparente para proteção das plantas,

10 estiletes,

Chumbinhos de pesca,

4 tubos de cola para balsa,

1 vidro de dope,

4 folhas de papel japonês para entelagem da asa,

1 rolo de fita crepe,

10 pincéis macios,

10 canetas 0,5 com ponta porosa,

4 caixas de percevejos,

10 réguas transparentes.


PREPARAÇÃO DAS PLANTAS

 

O projeto do Flipper foi impresso em A4 e seu tamanho foi ajustado à envergadura de 480mm em uma loja especializada em reprodução de modo a tornar o modelo em uma dimensão interessante aos alunos.

Importante na hora de imprimir a folha A4, foi aplicar a “função espelho” na planta para que mais tarde, ao se aplicar os desenhos das peças individuais às chapas de balsa, suas gravações estivessem em posição de leitura. O projeto possui o n° das peças para facilitar a interpretação das instruções de montagem por parte dos aprendizes.

A envergadura foi definida em função do melhor aproveitamento das madeiras de balsa disponíveis no mercado.

Para cada aluno foi reproduzida uma planta que pudesse ser empregada na montagem da asa.

Nota: A máquina copiadora deve ser regulada na posição “modo escuro” para que o traçado do projeto esteja bem definido e escuro.

 

 

PREPARAÇÃO DA BALSA

 

Para passar o contorno das peças nas chapas de balsa, utilizou-se a seguinte técnica: as cópias foram colocadas sobre as chapas de balsa com a face impressa em contato com a madeira de modo que com a temperatura de um ferro de passar roupa, o tonner do contorno seja transferido para a balsa. Isso permite recortar a balsa de maneira uniforme e no tamanho correto. È uma técnica barata mas que exige muito tempo na preparação e que somente vale a pena para pequenas produções.

Todas as peças foram preparadas com sobras para que cada aprendiz pudesse durante a realização da oficina, aprender a recortá-las no contorno correto, aprender a verificar o sentido das fibras da madeira de maneira a evitar lascamentos durante a fabricação das peças.

 

 

MATERIAL DIDÁTICO

 

Durante a fabricação do protótipo, foram feitas fotos de cada etapa de fabricação. Estas fotos foram usadas como material ilustrativo em PowerPoint em cada etapa de instrução.

 

 

DIVULGAÇÃO

 

Para preparação e divulgação da oficina, foi construído um protótipo com a finalidade de preparar o material didático-ilustrativo. Assim foi ajustada à realidade brasileira a forma de montagem do manual apresentado por Claus Baaden em seu site.

O público-alvo foi os jovens da Igreja Batista do Guabirotuba em Curitiba.  Atividade foi divulgada e após um breve período de inscrições, a oficina foi iniciada com reuniões todas as noites durante duas semanas, perfazendo uma carga-horária de 30 horas.

 

 

REALIZAÇÃO DO EVENTO

 

Participaram desta Oficina pessoas de diversas faixas etárias, entre jovens e adultos. Foram ao todo 8 pessoas, número ideal para se realizar uma atividade deste tipo para que fosse possível dar atenção a todos sem prejuízo à qualidade no treinamento. Inicialmente a sala foi preparada com mesas já existentes em uma sala bem iluminada e espaçosa. Em cada mesa, foram preparados 4 postos de trabalho, distribuindo-se os desenhos e os materiais necessários. Cada etapa foi explicada com ilustrações utilizando-se um Notebook com uma apresentação em PowerPoint.

Estas etapas foram realizadas passo-a-passo para o andamento uniforme do grupo. Cada fase foi detalhadamente explicada com o apoio das seguintes ilustrações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ENTELAGEM

 

Concluiu-se o planador com a aplicação de papel japonês na asa com aplicação de dope. Foi a fase que mostrou a cada aprendiz o resultado e a qualidade de seu trabalho. Aí foram constatadas as diferenças entre as junções, especialmente no perfil da asa, fruto do trabalho de lixação do perfil das nervuras.

 

 

Fotos da Oficina de Aeromodelismo

 

PREPARAÇÃO DA FUSELAGEM

 

Pré-acabamento da fuselagem

 

conclusão da fuselagem

 

 

PLANADOR MONTADO SEM ENTELAGEM

 

 

MINI-CAMPEONATO

 

O grupo reuniu-se bem cedo em uma manhã de sábado para colocar os planadores para voar. É claro que antes da competição houve um gostoso café da manhã no bosque existente no local.

O ar estava calmo o que propiciou vôos sem turbulência. Após uns vôos de treinamento, subimos ao topo de uma elevação existente no local para os lançamentos.

Antecipadamente os mesmos já haviam sido pré-balanceados em seu CG. O ajuste final foi feito na hora, antes dos vôos oficiais.

 

            Foi estabelecido o seguinte critério para definir o ganhador:

Seriam realizados 5 vôos lançados à mão e a somatória dos tempos determinaria o vencedor.

Estes foram os tempos cronometrados:

 

Celso

Luiz

Denise

Elenita

Everton

Rodrigo

10 seg 68 cent.

11 seg 34 cent.

01 seg 50 cent.

01 seg 88 cent.

05 seg 07 cent.

02 seg 52 cent.

11 seg 30 cent.

07 seg 58 cent.

03 seg 16 cent.

04 seg 87 cent.

07 seg 48 cent.

03 seg 58 cent.

09 seg 84 cent.

06 seg 70 cent.

01 seg 23 cent.

03 seg 90 cent.

05 seg 48 cent.

03 seg 91 cent.

06 seg 33 cent.

07 seg 60 cent.

02 seg 04 cent.

04 seg 10 cent.

02 seg 70 cent.

03 seg 81 cent.

11 seg 36 cent.

04 seg 83 cent.

02 seg 05 cent.

02 seg 05 cent.

06 seg 20 cent.

02 seg 86 cent.

 

O vencedor foi Celso Nei Ferreira e em segundo lugar ficou com Luiz Carlos dos Santos.

Parabéns a todos.

 


Hobby Esportes: Divulgação do aeromodelismo e lealdade com o desportista


Se quiser receber notícias fresquinhas e promoções através de seu E-mail, clique no nosso "Livro de Visitas" e cadastre-se.

  <=== Volta a home page